Conto de Natal Vermelho Sangue

– Mamãe o peru vai queimar no forno_ Sophia gritava para Bianca da sala onde admirava a enorme árvore de natal que havia montado.

– O papai está de olho docinho.

– Se for pra deixar meu pai na cozinha, é mais fácil a gente já se preparar para passar o natal em um restaurante _ À garotinha falava brincalhona e todos riram.

– Eu escutei isso ai em Sophia _ Pedro falava com um tom de bravo, mas ambos sabiam que era parte de toda brincadeira

A família decidiu comemorar a data tão esperada juntos em um sitio, para a surpresa de todos, até Margareth e Carlos haviam comparecido. Não era uma família grande, mas já bastava pra terem uma diversão a mais no grande feriado, aos poucos os amigos também foram chegando e Sophia mal esperava por ver Julia e Tomas.

Os adultos ficavam conversando na cozinha enquanto a comida ia sendo preparada por Pedro e Bianca. Eles tinham uma conversa gostosa e Bianca pode sentir de novo o afeto que sua irmã tinha por ela quando mais jovem.

Reviver a adolescência foi algo que ninguém esperava, os amigos da ex banda de Pedro levaram os instrumentos e lá estavam eles tocando como se estivessem no Pub em que conheceu Bianca.Voltaram aos 17 anos e podíamos ver sorrisos estampados por todo lado.

Já no quarto Sophia se empolgava com o Balé, ela rodopiava junto com Julia e Tomas, dizendo ser a Barbie do quebra-nozes ou até mesmo a Barbie do lago dos cisne. Mas, eles só queriam uma coisa que toda criança quer no natal, abrir os presentes e ver o que o papai Noel havia deixado.

As dez da noite todos se sentavam a mesa para cear, a comida estava divina e nada de passas no arroz. A conversa se estendia e em anos Bianca não tinha essa sensação de Paz, a ideia de se reunir com os antigos e novos amigos foi o primeiro passo para sua vida voltar a “ser” como era na adolescência, mas claro que agora com mais responsabilidade, ela só queria ter a harmonia que tinha quando mais jovem, mas ela mal sabia que esse seria o último natal a ser comemorado.

As horas foram passando e as crianças já ansiavam pelos presentes.

– Crianças vamos todos brincar de pique – esconde, vocês se escondem que nós vamos procurá-las_ Bianca dizia lembrando-se de quando também brincava de pique, mas o motivo da brincadeira era para distraí-las enquanto o papai Noel descia pela chaminé e deixava os presentes na árvore.

Os três se esconderam e lá foi os adultos ajeitar cada presente na árvore, depois de um curto tempo foram procurar Sophia, Julia e Tomas que estavam escondidos juntos no guarda roupa do quarto em que Sophia dormia. Os três desceram as escadas empolgados e se depararam com uma árvore repleta de presente, todos se sentaram em roda e Bianca ficou encarregada de entregar os presentes, todos tinham nomes de quem deu e para quem deu.

Sophia, Julia e Tomas haviam ganhado presentes de todos, mas cada um tinha o seu preferido, o que tinham colocado na cartinha pro papai Noel. Sophia queria ganhar a coleção inteira do quebra-nozes, de jogos a brinquedos e roupas. Julia queria ganhar um cachorrinho, o pequeno Thor estava dormindo dentro de uma caixinha própria para ele. E Tomas queria ganhar carrinhos e pistas da Hot Wheels. As crianças se empolgaram com as coisas que ganharam e foram brincar na sala de estar, era tantos brinquedos que ficava difícil escolher um.

– Eu só tenho que agradecer a todos vocês por terem vindo até aqui e por terem feito com que esse natal fosse mágico, especial e diferente, por terem me feito lembrar da nossa adolescência junto e de todos momentos bom que passamos_ Enquanto Bianca fazia seus agradecimentos, Carlos havia se levantado dizendo que iria ao banheiro. Ele seguiu até o quarto de hospede e pegou sua arma que estava escondida na mala, desceu para a sala de jantar com um sorriso maníaco no rosto e se preparava para tirar a vida da sua primeira vítima, ele pensava em quem seria o primeiro e escolheu Bianca.

Ela ainda sorria e conversava com os amigos, quando viu que Carlos estava diferente, olhou para suas mãos e viu o revolver, o pavor tomou conta de Bianca e todos a olharam espantados, querendo saber o porquê do terror em seu olhar.

Suzanne também havia ido ao banheiro e antes de adentrar a sala de jantar percebeu que Carlos estava armado e se direcional ao lado contrario, sua intenção chamar as crianças que estavam na sala de estar.

– Vamos dar um passeio meus amores_ Ela falava e puxava as crianças para o carro.

– Tia eu posso levar o Thor_ Julia perguntava ainda com a alegria ingênua no olhar contrastando com o que viria acontecer.

– Claro meu amor_ Depois de pegar o cachorrinho, eles foram para o carro que estava estacionado perto da piscina e Suzanne deu partida sem que ninguém percebesse que eles haviam saído. Enquanto isso na casa, todos perceberam o que Carlos iria fazer e se apavoraram

– O que você vai fazer Carlos?!

– Vou dar o meu presente pra você Bianquinha!_ Como se não fosse nada Carlos puxa o gatilho e dispara em Bianca, contudo Max pulou em sua frente e o tiro acabou acertando seu abdômen. Com tal ação o único som se podia ouvir eram os gritos de desespero, ninguém acreditava no que estava acontecendo. Carlos atirava por todo lado, era um massacre, alguns dos disparos acabou acertando os pais de Bianca e alguns amigos da banda. Pedro ao ver a situação não pensou duas vezes e pulou em cima de Carlos. Os dois caíram e durante a queda, Margareth conseguiu tirar a arma das mãos de Carlos, entretanto os dois foram lentos, pois a bala mortal já havia sido disparada, o som metálico ecoou por quilômetros tarde, porem o som que mais doeu foi o pequeno murmúrio de Bianca que ao sentir a bala entrando em seu peito deu dois passos para trás e já caiu sem vida.

Pedro com muita raiva o esmurrou tanto que deu pra ouvir o nariz de Carlos se quebrando, todos estavam em choque e logo se ouvia o barulho de sirene.

O Natal que havia começado com muita alegria acabou em uma grande tragédia.

– Não mamãe_ Sophia gritava de desespero e suava frio, sabia que sua mãe não iria voltar nunca mais. Então as luzes do quarto se acenderam e Yago a chamou.

– Acorda Sophia, você está tendo outro pesadelo.

A jovem se levantou assustada e viu que não passava de um sonho, mas sabia que sua mãe nunca mais iria voltar.

Autora: Lamytii

Obrigado por ter lido até aqui, não esqueça de curtir e olhar os outros conteúdos.

 Feliz Natal e até mais!!!

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s